Iluminação residencial

Iluminação residencial, poucas pessoas sabem sabe usar a iluminação como um elemento decorativo de forma efetiva. Dar amplitude aos espaços, destacar detalhes e proporcionar segurança.

Iluminação planejada

Para iluminar um ambiente, o primeiro passo é fazer uma análise de sua função, estilo, atividades que serão realizadas, objetos a serem destacados e clima desejado. Depois é preciso decidir o tipo de iluminação e, finalmente, escolher as lâmpadas e luminárias corretas.

Iluminação geral

define o espaço e torna-o visualmente confortável. Quando é direcionada ilumina melhor os planos de trabalho (mesas, bancadas e balcões), tornando o uso da luz mais eficiente e mais econômica.

Iluminação indireta

A utilização de colunas, abajures ou arandelas proporciona conforto visual na medida em que clareia paredes e teto. Iluminação de destaque: leva luz extra focalizada para objetos ou superfícies selecionados como quadros, estantes etc.

Iluminação de tarefas

como o próprio nome diz, é usada em áreas onde se realiza algum tipo de trabalho (ler, escrever, cozinhar, lavar, jogar etc). Mas a colocação da luminária requer alguns cuidados para que não produza sombras e nem atrapalhe a atividade. Para ler e escrever, por exemplo, utiliza-se, em geral, luz bem difusa e abundante, vinda por cima dos ombros ou pela lateral.

Atenção

Cuidado para não confundir luz fria e luz quente, que são chamadas assim por causa da aparência de cor da fonte de luz, que pode ser mais branca azulada ou amarelada, respectivamente, e não pela temperatura térmica.

Uma boa dica para economizar em até 75% o consumo de energia, é substituir as lâmpadas incandescentes por fluorescentes eletrônicas, que possuem versões de luz amarelada idêntica as incandescentes leitosas, mais indicadas para salas e quartos, e versões de luz mais branca, ideais para cozinhas e áreas de serviço.

Como iluminar

No quarto, por exemplo, é bom evitar luminárias que deixem as lâmpadas aparentes, já que estas podem incomodar alguém que esteja deitado.

projeto-interiores-arquitetura-1024x682

Na sala de jantar, convém a colocação de uma luminária pendente no centro da mesa, destacando qualquer elemento que esteja sobre a mesa. A luz geral pode ser controlada por dimmers (moduladores de intensidades), de acordo com a ocasião, todavia somente em lâmpadas incandescentes.

No banheiro, cuidado com a iluminação do espelho: a luz deve ser de cor quente e envolver todo o ambiente para iluminar o rosto igualmente e não produzir sombras, sendo aplicada nas laterais do espelho e não no topo como é comum se encontrar.

Cozinha e áreas de serviço necessitam de iluminação mais uniforme, em geral luz fria, de forma que não haja sombras nos locais onde se realizam as atividades. As fluorescentes cumprem bem o papel neste ambiente, inclusive pelo fato do uso mais prolongado.

Cozinha

Em escritórios com computador – assim como em salas de TV, é importante não permitir que focos de luz causem interferência na tela. Por isso, o mais indicado é que a luminária esteja atrás ou ao lado do aparelho, ou no fundo do ambiente em posição oposta a tela.

 

E por fim muita atenção para não instalar luminárias que podem causar ofuscamento nas pessoas.

Fonte: www.mercolux.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *